Quinta-feira
24 de Setembro de 2020 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico
Usuário
Senha

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,53 5,53
EURO 6,46 6,46
LIBRA ES ... 7,05 7,05
PESO (ARG) 0,07 0,07
PESO (URU) 0,13 0,13

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . . . .

TJSP participa de seminário sobre recuperação judicial e pandemia

Desembargador Pereira Calças representou o presidente.   O Tribunal de Justiça de São Paulo participou ontem (14) do “Seminário de Recuperação Judicial no Brasil”, promovido pelo Instituto de Estudos Jurídicos Aplicados (Ieja) com o objetivo de discutir o cenário de falências e recuperação judicial de empresas durante a crise decorrente da pandemia da Covid-19. O evento reuniu palestrantes em formato híbrido (presencial e virtual), com transmissão ao vivo pelo canal do instituto no YouTube. O desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças participou do evento, representando o presidente da Corte, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco. Pereira Calças palestrou no segundo painel do evento, que abordou a situação da indústria de bens e serviços e do qual também participaram o ministro do Superior Tribunal de Justiça Antonio Saldanha Palheiro; o deputado federal Hugo Leal; e o secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça, juiz Valter Shuenquener de Araújo. O desembargador afirmou que, em razão da disseminação do novo coronavírus e a decorrente quarentena, empresas de São Paulo entraram em crise e têm pleiteado perante o Judiciário paulista um modo de suavizar o cumprimento das obrigações assumidas nos planos de recuperação. “Com a pandemia, as prestações se tornaram excessivamente onerosas e, nestes casos, é sabido que ambas as partes que contrataram o plano de recuperação judicial estão suportando os efeitos perversos”, explicou Pereira Calças. “As Câmaras de Direito Empresarial entendem que as assembleias de credores são soberanas e não compete ao Judiciário modificar o plano de recuperação judicial por força da pandemia”, pontuou o magistrado. “Temos entendido que eventual modificação do plano deve ser submetida à assembleia geral de credores.” Pereira Calças também apontou que as empresas em recuperação têm pleiteado a continuidade de prestação de serviços de fornecimento de água, energia elétrica, telefonia e internet e gás, independentemente de pagamento. “Entendemos que não compete ao juízo de recuperação judicial arbitrar isto, é preciso exame caso a caso pelo juízo competente para concessão da tutela antecipada”, explicou o desembargador.  Por fim, o magistrado do TJSP teceu considerações sobre o Projeto de Lei nº 1397/2020, em tramitação no Senado, que altera transitoriamente o regime jurídico da recuperação judicial, extrajudicial e da falência face o cenário de crise. Entre os pontos de interesse do projeto, Pereira Calças ressaltou a questão do parcelamento fiscal, atualmente previsto por lei em 84 parcelas. “O Projeto de Lei prevê que o parcelamento da dívida consolidada deverá ser em 124 prestações mensais e sucessivas, uma proposta muito mais suave e adequada para uma empresa em recuperação judicial”, afirmou o desembargador. “Se o instituto da falência for melhor regulamentado no Brasil, os credores deixarão de aceitar planos de recuperação judicial com descontos em seus créditos, que superam 90% do montante de que são titulares”, afirmou.  Também participaram do evento os ministros do Superior Tribunal de Justiça Luís Felipe Salomão e Paulo Dias de Moura Ribeiro; o membro do Conselho Diretor da Associação Brasileira do Agronegócio Renato Buranello; o deputado federal Evair de Melo; e o coordenador da Subcomissão de Recuperação de Crédito da Federação Brasileira de Bancos, Márcio Calil de Assumpção.   imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficia
15/09/2020 (00:00)
Visitas no site:  3098742
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia