Sábado
02 de Julho de 2022 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,31 5,31
EURO 5,53 5,53
LIBRA ES ... 6,40 6,40
PESO (ARG) 0,04 0,04
PESO (URU) 0,13 0,13

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Domingo - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
15ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Campinas, ...

Máx
25ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Terça-feira - Campinas, S...

Máx
25ºC
Min
13ºC
Predomínio de

INSTITUCIONAL: Corregedora da 1ª Região debate subtração internacional de crianças e comunicação judicial direta em Seminário sobre Cooperação Jurídica Internacional

A corregedora regional da Justiça Federal da 1ª Região, desembargadora federal Mônica Sifuentes, realizou, nessa terça-feira, dia 17 de maio, a abertura do Ciclo de Palestras “Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Civil: subtração internacional de crianças e adolescentes” como parte das atividades do II Seminário sobre Cooperação Jurídica Internacional do Conselho da Justiça Federal (CJF). A magistrada tratou da Subtração Internacional de Crianças e Comunicação Judicial Direta abordando, entre outros pontos, a Convenção da Haia a partir de um caso emblemático (Golan x Saada). Ao falar da Convenção sobre os Aspectos Civis do Sequestro Internacional de Crianças, que tem como um dos objetivos assegurar o retorno imediato de crianças ilicitamente transferidas para qualquer Estado Contratante ou nele retidas indevidamente, a palestrante destacou a compreensão de que, nesses casos, deve prevalecer o interesse da criança, sem deixar de abordar as questões que envolvem esse entendimento. “Uma chave para compreensão da Convenção da Haia é ter como foco o interesse e a segurança da criança e não dos genitores. Outro ponto é o retorno dessa criança ao seu país de residência habitual com a maior brevidade possível”, enfatizou a magistrada. Um dos focos da palestra da corregedora regional também esteve na análise e discussão do artigo 13 da Convenção da Haia, de maneira especial no que está contido na alínea “b” deste artigo, apresentando o desafio da norma para a interpretação e julgamento dos magistrados. Para ilustrar a discussão, a magistrada falou do caso emblemático Golan x Saada, que ainda aguarda desfecho da corte julgadora internacional. Segundo a corregedora regional da 1ª Região, a decisão que sairá desse caso poderá lançar luzes à compreensão do papel dos julgadores em situações semelhantes. A programação do ciclo de palestras contou ainda com a discussão de outros especialistas acerca da atuação da AGU nos casos da convenção da Haia sobre os aspectos civis do sequestro internacional de crianças e sobre as atribuições de autoridades centrais envolvidas com o tema. O próximo ciclo de palestras acontecerá no dia 24 de maio, e tratará do tema “Cooperação Jurídica Internacional em matéria civil: provas, citação e acesso à Justiça”. As inscrições, gratuitas, são realizadas por data e tema de palestra conforme links disponibilizados pelo CJF. II Seminário de Cooperação Jurídica Internacional – O “II Seminário sobre Cooperação Jurídica Internacional” tem como objetivo, por meio de ciclos de palestras, apresentar os órgãos que atuam com a cooperação jurídica internacional no Brasil, os quais têm como autoridade central para o tema o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI). Os ciclos de palestras vão até o dia 7 de junho, com encontros sempre às terças-feiras, das 9h às 12h, via plataforma Zoom. Os debates são voltados a magistrados e servidores do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e das Justiças Federal e Estadual e a membros e servidores do Ministério das Relações Exteriores (MRE), dos Ministérios Públicos Federal (MPF) e estadual (MPE), da Defensoria Pública da União (DPU), da Polícia Federal (PF), da Polícia Civil e da Advocacia-Geral da União (AGU). AL, com informações do CJF. Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região  
18/05/2022 (00:00)
Visitas no site:  5336875
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia