Sábado
27 de Novembro de 2021 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,59 5,59
EURO 6,32 6,32
LIBRA ES ... 7,45 7,45
PESO (ARG) 0,06 0,06
PESO (URU) 0,13 0,13

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
31ºC
Min
19ºC
Chuva

Domingo - Campinas, SP

Máx
32ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Campinas, ...

Máx
31ºC
Min
19ºC
Nublado

Terça-feira - Campinas, S...

Máx
27ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

Confirmada condenação de réus por latrocínio contra taxista

Penas fixadas em 30 anos de reclusão.     A 8ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão da juíza Vanessa Aparecida Bueno, da 1ª Vara de Itapira, que condenou dois réus a 30 anos de reclusão, em regime inicial fechado, por latrocínio cometido contra taxista idoso.     Consta nos autos que a vítima trabalhava em ponto próximo a uma rodoviária. No dia dos fatos, os réus simularam interesse em uma corrida para entrar no táxi. No meio do caminho passaram a agredir o motorista com golpes de faca de cozinha e depois se dirigiram a uma estrada rural, local em que abandonaram o corpo, levando o veiculo, dinheiro e documentos. Após investigação da polícia os réus foram localizados no município de Pouso Alegre, em Minas Gerais.     De acordo com a relatora da apelação, desembargadora Ely Amioka, a prova dos autos dá a certeza da necessidade de manutenção da condenação. “Ressalte-se que ambos os acusados foram vistos adentrando o carro da vítima pouco tempo antes do latrocínio, tendo o veículo do ofendido sido posteriormente encontrado na cidade de Pouso Alegre/MG, onde residem os réus.”     Sobre a dosimetria da pena a magistrada afirmou: “Considerando-se que os réus se valeram de momento em que a vítima (com mais de 60 anos de idade) se encontrava em situação de evidente vulnerabilidade, visto que exercia o seu ofício de taxista em região rural e, portanto, erma, para contra ela desferirem golpes fatais de arma branca, não havendo nem mesmo sinais de que o ofendido tenha oferecido qualquer tipo de resistência à investida dos acusados, conclui-se que os atos perpetrados pelos réus foram imbuídos de alta reprovabilidade e crueldade, sendo justificável, portanto, a manutenção da fração de aumento mais gravosa”.     O julgamento teve a participação dos desembargadores Sérgio Ribas e Marco Antônio Cogan. A decisão foi unânime.     Apelação nº 1500384-48.2020.8.26.0272          imprensatj@tjsp.jus.br       Siga o TJSP nas redes sociais:     www.facebook.com/tjspoficial     www.twitter.com/tjspoficial     www.youtube.com/tjspoficial     www.flickr.com/tjsp_oficial     www.instagram.com/tjspoficial
24/11/2021 (00:00)
Visitas no site:  4548754
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia