Domingo
23 de Janeiro de 2022 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,44 5,44
EURO 6,17 6,17
LIBRA ES ... 7,37 7,38
PESO (ARG) 0,05 0,05
PESO (URU) 0,12 0,12

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
31ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Campinas, ...

Máx
30ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Terça-feira - Campinas, S...

Máx
33ºC
Min
21ºC
Nublado

Quarta-feira - Campinas, S...

Máx
29ºC
Min
20ºC
Chuva

Começa o júri de estudante da Uerj acusado de matar a namorada

Começou às 14h30 desta quinta-feira (25/11) o julgamento de Bruno Ferreira Correia, acusado de matar a namorada Luiza Nascimento Braga, estudante de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Bruno confessou o crime e disse estar arrependido.   Ao todo foram ouvidas duas testemunhas de acusação – uma colega de Luiza do curso de Cinema que foi a última pessoa a vê-la com vida, e a mãe de Luiza – e uma de defesa, vizinha dos avós que criaram Bruno desde pequeno, em Nova Friburgo, Região Serrana do estado.   No interrogatório, por orientação da defesa, Bruno respondeu apenas às perguntas formuladas pelo defensor público e pelos jurados. Ao ser perguntado sobre seu estado civil, ele respondeu “viúvo”, causando indignação nos parentes e amigos da vítima que assistiam ao julgamento.   Ele contou que, no dia dos fatos, enquanto Luiza tomava banho, resolveu examinar o celular dela, tendo encontrado mensagens e fotos que indicavam uma traição. Quando ela saiu do banho eles teriam começado uma briga, ocasião em que Luiza tentou tirar o celular das mãos de Bruno. A partir desse momento, ele afirma não se lembrar de mais nada.   O júri é presidido pelo juiz Daniel Werneck Cotta, da 2ª Vara Criminal da Capital, e no meio da tarde teve início o debate entre Ministério Público e defesa.   Relembre o caso   Luiza desapareceu no dia 19 de agosto de 2019, depois de ter passado a noite na casa de Bruno, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Depois do desaparecimento, seu pai ainda recebeu uma mensagem da filha, mas desconfiou não ser dela. Sem informações, uma vez que nem Luiza nem Bruno atendiam as ligações do casal, no dia 22 de junho os pais da vítima decidiram ir até a residência onde Luiza havia morado com o acusado. No local, encontraram o corpo da jovem de 25 anos ocultado por um cobertor e com diversas facadas no pescoço e no rosto. Após o crime, Bruno fugiu para Nova Friburgo, onde foi preso 46 dias depois.   Processo Nº 0152284-24.2019.8.19.0001   SF/AB
25/11/2021 (00:00)
Visitas no site:  4737046
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia