Sábado
27 de Novembro de 2021 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,59 5,59
EURO 6,32 6,32
LIBRA ES ... 7,45 7,45
PESO (ARG) 0,06 0,06
PESO (URU) 0,13 0,13

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . . . .
S&P 500 0,31% . . . . . . .
Dow Jone ... % . . . . . . .
NASDAQ 0,02% . . . . . . .

Previsão do tempo

Hoje - Campinas, SP

Máx
31ºC
Min
19ºC
Chuva

Domingo - Campinas, SP

Máx
32ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Campinas, ...

Máx
31ºC
Min
19ºC
Nublado

Terça-feira - Campinas, S...

Máx
27ºC
Min
19ºC
Chuvas Isoladas

24/11/2021 - 16h50TRE-MG e governo estadual assinam acordo para compartilhar dados de eleitoresCompartilhamento de informações permitirá expansão da base de dados biométricos da identificação civil nacional

Desembargador Marcos Lincoln dos Santos, do TJMG, e presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (à dir.), ressaltou que acordo faz parte dos esforços do TRE-MG para o aprimoramento de sua atuação e serviços (Crédito: Divulgação/TSE) Nesta terça-feira (23), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), o Governo de Minas e a Polícia Civil de Minas Gerais assinaram um acordo de cooperação técnica com o objetivo de promover o compartilhamento de dados biográficos e biométricos da população registrados pelas instituições. A cerimônia aconteceu na sede do TSE, em Brasília. Assinaram o acordo o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE; o desembargador Marcos Lincoln dos Santos, presidente do TRE-MG; Romeu Zema Neto, governador de Minas Gerais; Joaquim Francisco Neto e Silva, delegado-geral da Polícia Civil de Minas Gerais; Rodrigo Diniz Lara, subsecretário de Governança Eletrônica e Serviços, representando a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais. O acordo prevê que o Governo de Minas forneça ao TSE dados biográficos e biométricos constantes da base de dados de identificação civil do Estado, para ampliação do projeto da Identificação Civil Nacional, para identificar os brasileiros com mais segurança e facilidade. Já o TSE possibilitará ao Governo de Minas o acesso às bases de dados da Justiça Eleitoral, para a conferência de informações de cidadãos que buscarem atendimento em órgãos do governo estadual, especialmente, na identificação da população. E a consulta a dados biométricos poderá auxiliar a Polícia Civil em atos de investigação, quando necessário. Caberá ao TRE intermediar, se necessário, o repasse de dados entre o TSE e o Governo de Minas; e auxiliar o governo estadual em treinamentos e no uso das ferramentas disponibilizadas pelo TSE. Em pronunciamento durante a solenidade, o presidente do TSE ressaltou que o acordo fortalece dois programas muito importantes para o país e que vão simplificar a prestação dos serviços públicos: a ICN e o banco de dados biométricos da Justiça Eleitoral. O ministro Barroso explicou que o projeto possibilitará a ampliação da base de dados biométricos da Justiça Eleitoral mineira, a redução de gastos públicos relacionados à identificação da população e permitirá o desenvolvimento de uma base de dados centralizada. “Minas Gerais está sendo pioneiro neste modelo de projeto, com uma base de dados que permitirá conferir informações e evitar fraudes. As bases de dados hoje não se comunicam”, disse. O desembargador Marcos Lincoln dos Santos, presidente do TRE, ressaltou que esse acordo faz parte dos esforços do Tribunal para o aprimoramento de sua atuação e serviços. “O TRE-MG tem trabalhado com os olhos voltados para as cidadãs e os cidadãos mineiros, com o propósito de construir uma Justiça Eleitoral à altura daqueles que dela necessitam, sempre prestigiando a preservação do estado democrático de direito.” Em seu pronunciamento, o governador de Minas ressaltou que o esforço desse projeto tem como principal objetivo promover o melhor uso dos dados públicos já existentes. “O acordo vai viabilizar a utilização compartilhada de dados, informações e estruturas já existentes, gerando significativa economia de recursos e melhorando a qualidade dos serviços públicos”, disse. A partir da assinatura do acordo, as instituições terão 60 dias para elaborar e publicar um plano de trabalho, que vai detalhar aspectos técnicos e prazos para início do intercâmbio de informações. O compartilhamento de dados deverá respeitar o interesse público, o sigilo das informações e os princípios estabelecidos no artigo 6º da Lei 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados).  ICN  A Identificação Civil Nacional foi instituída pela Lei 13.444/2017, com o objetivo de cadastrar os brasileiros para que sejam identificados com segurança e facilidade em suas relações públicas e particulares. Na prática, o programa vai facilitar a vida do cidadão em várias esferas, uma vez que servirá de base para comprovação de identidade em persas instituições, tais como embarque em viagens nacionais utilizando a validação biométrica e prova de vida para beneficiários do INSS, por exemplo. A ICN será um banco de dados único com informações dos cidadãos brasileiros e utilizará a base de dados biométricos da Justiça Eleitoral; do Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc); da Central Nacional de Informações do Registro Civil (CRC Nacional); dos institutos de identificação dos Estados e do Distrito Federal ou do Instituto Nacional de Identificação; ou, ainda, as informações disponibilizadas por outros órgãos, conforme definido pelo Comitê Gestor da ICN. Dentro do programa de identificação nacional, está prevista a criação do Documento Nacional de Identidade (DNI), com a expectativa de, no futuro, ser o principal documento a ser utilizado pelo cidadão brasileiro. A identidade digital terá a segurança como principal característica, uma vez que garantirá que ninguém tente se passar por outra pessoa na hora da identificação. Isso só será possível porque o documento utilizará dados biométricos, que são únicos em cada inpíduo. A implementação do DNI depende, ainda, da elaboração de um cronograma específico que levará em conta a atualização do cadastro biométrico em todo o país, uma vez que o cidadão terá de fazer um pré-cadastro no aplicativo e buscar um posto de atendimento para validar seus dados. Além das autoridades que assinaram o termo de cooperação, estiveram no evento a ministra do TSE Maria Cláudia Buchianeri; o juiz auxiliar da Presidência do TRE-MG, Paulo Tamburini; o diretor-geral do Tribunal, Maurício Caldas; os deputados federais Diego Andrade e Aelton Freitas e o diretor-presidente da Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos de Minas Gerais, Fernando Campelo Martelleto. * Informações: TRE-MG Diretoria de Comunicação Institucional – Dircom Tribunal de Justiça de Minas Gerais – TJMG (31) 3306-3920 imprensa@tjmg.jus.br instagram.com/TJMGoficial/ facebook.com/TJMGoficial/ twitter.com/tjmgoficial flickr.com/tjmg_oficial  
24/11/2021 (00:00)
Visitas no site:  4548955
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia